Get more out of your DNA results. Learn how.

Genealogia Genética

Estamos neste momento no patamar de uma revolução no campo da biotecnologia em que a “sequenciação” do nosso ADN (DNA em inglês) pode ser feita por um valor bastante acessível. Para os genealogistas, isto abre as portas a um novo mundo: em vez de confiar exclusivamente nos registos disponíveis, é possível usar directamente a herança genética que foi sendo transmitida ao longo de gerações.
Existem várias empresas no mercado que se dedicam a testes genéticos com aplicações de genealogia. A maior parte delas determina apenas o que é conhecido como o “haplogrupo”. Os haplogrupos mais conhecidos são os do cromossoma Y (Y-DNA) e o mitocondrial (mtDNA). Estes dois haplogrupos são transmitidos exclusivamente pela linha paterna (Y-DNA) e pela linha materna (mtDNA), e permitem traçar a evolução e migração da espécie humana e mais especificamente a dos nossos antepassados pré-históricos.

Recomenda-se no entanto, uma vez que esteja disposto a fazer a sua análise genética, que realize os testes numa empresa que disponha de uma vasta base de dados que permita comparar o seu ADN com o de outros genealogistas, e encontrar aqueles que partilham partes significativas consigo: os seus parentes afastados. Deste modo, une o útil ao agradável: além de alargar a sua família conhecida, uma vez que esse primo afastado também se interessa por genealogia, podem ambos enriquecer as respectivas pesquisas. Uma das empresas que realiza estes testes e que dispõe de uma larga base de utilizadores é a FamilyTreeDNA (FTDNA)1. Outras empresas com bases de dados extensas incluem a Ancestry, a 23andMe e a MyHeritage.

A FTDNA oferece 3 tipos de testes:

  • FamilyFinder: teste autossómico, que permite identificações dentro de todas as linhas de antepassados nas últimas 5 gerações
  • Y-DNA: apenas para homens, permite a identificação de parentes exclusivamente na linha paterna
  • mtDNA: para ambos os sexos, permite a identificação de parentes exclusivamente na linha materna

FamilyFinder

Este é de longe o teste recomendado entre os três tipos oferecidos. Neste tipo de teste, é testado o ADN autossómico, transmitido por ambos os pais, cerca de metade de cada um. A mistura exacta difere entre cada pessoa, mesmo entre irmãos. No entanto podem ser feitas as seguintes aproximações da percentagem de material genético que recebemos dos nossos antepassados:

Geração Parentesco % genes
1 Pais (2) 50,00%
2 Avós (4) 25,00%
3 Bisavós (8) 12,50%
4 Trisavós (16) 6,25%
5 Tetravós (32) 3,12%
6 Quintos Avós (64) 1,56%

Devido à percentagem cada vez menor de genes transmitidos, a identificação de antepassados (e dos seus descendentes) a partir da 6ª geração torna-se mais difícil. É por esse motivo que se recomenda que começe por testar os antepassados mais idosos com o FamilyFinder.
Ao realizar este teste, a FTDNA irá comparar o seu ADN com outros genealogistas que fizeram o mesmo teste, e irá apresentar-lhe as possíveis correspondências (matches) com aqueles que partilham um bloco genético de tamanho assinalável consigo. Para este teste, é encorajada a partilha da árvore de costados para que os seus parentes afastados possam tentar identificar o antepassado comum.

Y-DNA

O teste Y-DNA testa o cromossoma Y que faz parte do par XY de cromossomas que determina o sexo masculino. Por este motivo, este teste apenas pode ser realizado por homens – as mulheres podem sempre testar um irmão, pai ou outro homem da mesma linha do pai. Uma vez que o ADN da mãe não participa da mistura de genes neste cromossoma, o Y é passado exclusivamente de pai para filho com muito poucas alterações.
A FTDNA oferece vários níveis de testes de Y-DNA, conforme o número de marcadores STR (Short Tandem Repeat) testados. A seguinte tabela apresenta as gerações onde o grau de confiança é de 95% para a distância genética conforme o número de marcadores testados:

Distância Genética
0 1 2
Y-DNA 12* ≤29 ≤47 -
Y-DNA 25* ≤13 ≤20 ≤27
Y-DNA 37 ≤7 ≤10 ≤14
Y-DNA 67 ≤7 ≤9 ≤14
Y-DNA 111 ≤5 ≤7 ≤9

* Apenas disponível como upgrade.

A FTDNA também disponibiliza o teste Big Y500, que para além de fornecer cerca de 500 STR, identifica também os vários SNP (Polimorfismo de nucleotídeo único), permitindo uma classificação mais exacta dentro dos haplogrupos do Y-DNA. Dependendo do haplogrupo, o tempo até ao antepassado comum de todos os indivíduos com o mesmo SNP terminal pode ser de apenas alguns séculos.

mtDNA

O teste mtDNA sequencia o ADN das mitocôndrias que fazem parte das nossas células. Ao contrário do ADN nuclear que resulta da recombinação do ADN de ambos os progenitores, o nosso ADN mitocondrial é passado exclusivamente pela nossa mãe. Com este teste é portanto possível testar a linha materna e descobrir possíveis parentes com antepassados comuns nessa linha das mães das mães. Ao contrário do teste Y-DNA, este mtDNA pode ser feito tanto por mulheres como por homens.
A FTDNA oferece dois níveis de teste mtDNA, o mtDNA+ e o mtFull Sequence. O mtDNA+ testa apenas as regiões híper-variáveis 1 e 2 (HVR1 e HVR2), enquanto o mtFull Sequence testa todo o ADN mitocondrial. De notar que o primeiro teste tem maioritariamente interesse antropológico, uma vez que normalmente existem vários milhares de pessoas com ambas as HVR idênticas. Apenas o teste completo pode ser usado para identificar positivamente relações de parentesco mais recentes.

Projectos

Em complemento aos testes, a FTDNA fornece ainda apoio a projectos de ADN. Estes projectos são geridos por equipas de genealogistas voluntários e servem para agrupar indivíduos com interesses comuns.
Para além de vários projectos de apelidos (p.e. onde todos os ‘Silva’ são convidados a participar), existem ainda projectos específicos de haplogrupos e os de interesse regional. Neste último tipo, são de especial interesse os seguintes projectos:

Hic Sunt Dracones (Aqui há dragões)

Finalmente, uma palavra de cautela. Para aqueles que não estejam dispostos a receber a resposta, talvez seja melhor começar por não fazer a pergunta. Neste caso, os genes revelam uma genealogia através dos pais biológicos. Os registos paroquiais contam a história dos pais “afectivos”.

Os dois nem sempre coincidem… Existem estimativas que a taxa média de NPE (non-paternity events) pode rondar os 2%. Isto é, em cada 100 indivíduos, o pai biológico de 2 deles não corresponde ao pai "afectivo". Em termos genealógicos, isso quer dizer que numa árvore de costados completa até à 7ª geração, contendo 127 indivíduos, existem em média 2 erros na atribuição da paternidade.


Nota 1: o tombo.pt é um afiliado da FamilyTreeDNA (FTDNA), uma empresa norte-americana que vende testes de ADN para a comunidade mundial de genealogistas. As ligações neste site para a FTDNA contêm uma referência de afiliado. A única informação partilhada entre nós e a FTDNA consiste nessa referência. Ao adquirir um teste na FTDNA após seguir uma destas ligações, será gerada uma comissão que serve para ajudar a suportar a manutenção e o desenvolvimento deste site. A comissão não altera o preço final dos produtos.

AnexoTamanho
PDF iconInstruções para a colecta de ADN34.47 KB